ASSOCIE-SE

Agende uma visita conosco e faça parte da ACCIE

A ACCIE

HISTÓRICO

A Associação Comercial, Cultural e Industrial de Erechim é uma entidade de classe civil, sem fins lucrativos, que congrega pessoas jurídicas que exercem atividades empresariais no município de Erechim. Fundada em 2 de abril de 1919, seu negócio é atuar na defesa dos interesses dos associados e da comunidade e fomentar o desenvolvimento local e regional, além de realizar atividades complementares, relacionadas à promoção de feiras e eventos.

A Associação Comercial, Cultural e Industrial de Erechim possui atualmente, em seu quadro de associados, 170 empresas dos diferentes setores da indústria, comércio, prestação de serviços e agropecuária.

 

A HISTÓRIA

Na vila de Boa Vista – hoje, Erechim – RS, o inicio do século XX foi marcado pela necessidade de receber e comercializar os produtos agrícolas e ao mesmo tempo abastecer a área rural da localidade com todos os tipos de artigos industrializados, o que resultou na criação de casas comerciais diversificadas onde se encontrava de tudo. Com o tempo, foram se consolidando, tornando-se prósperas empresas.

Neste contexto, em 2 de abril de 1919, surgiu a Associação Comercial de Erechim – ACE -, entidade representativa da comunidade empresarial erechinense, que construiu ao longo deste quase um século de história uma trajetória identificada com o desenvolvimento regional e bem-estar comunitário.

Em 1963, a entidade sofreu a primeira alteração estatutária e passou a denominar-se Associação Comercial e Industrial de Erechim – ACIE – com os fins de congregar e promover a mais perfeita união e solidariedade entre todas as pessoas; representar e defender os interesses de seus associados; promover estudos dos problemas de interesse das classes produtoras, notadamente do comércio e da indústria e fomentar seu intercâmbio com as demais associações de classe; promover a intransigente defesa das elevadas finalidades das organizações comerciais e industriais e a difusão de conhecimentos úteis a sua missão. A segunda alteração aconteceu em 30 de abril de 1998, oportunidade na qual foram enaltecidos os objetivos culturais e incluso o termo “Cultural” à razão social, passando então a figurar como Associação Comercial, Cultural e Industrial de Erechim, ACCIE.

1919

Fundada a Associação Comercial de Erechim

1963

Primeira Alteração Estatutária

1966

Parque de Exposições
Realizada a I FRINAPE e I Fenamate

1968

Realizada a II FRINAPE e II Fenamate

1982

Realizada a III FRINAPE e I Festa Nacional do Chimarrão

1984

Realizada a IV FRINAPE e II Festa Nacional do Chimarrão

1987

Realizada a V FRINAPE e III Festa Nacional do Chimarrão

1990

Realizada a VI FRINAPE e IV Festa Nacional do Chimarrão

1992

Realizada a VII FRINAPE e V Festa Nacional do Chimarrão

1995

Realizada a VIII FRINAPE e III Fenamate
Firmado Contrato com o Sebrae

1998

Passou a chamar-se ACCIE
Elaboração de Projetos Incentivando a Cultura Regional

1999

Realizada a Erechim EXPO 99 - IX FRINAPE

2000

Início da construção do Polo de Cultura de Erechim

2001

Prefeitura doa Terreno à ACCIE
Realizada a EXPO 2001 - X FRINAPE
Inauguração do Polo de Cultura
Alteração do nome para “Parque do Imigrante”
A ACCIE institui a Fundação ACCIE
Contrato com o Sebrae é Encerrado

2003

É criado o Conselho Deliberativo da Entidade

2004

A ACCIE Recebe Menção
Realizada a XI FRINAPE
Inauguração da Praça da Cultura
ACCIE apresenta Case em Congresso

2005

Inicia a construção da Praça do Imigrante
Inicia a construção de Dois Pavilhões
ACCIE institui a Fundação Polo de Cultura de Erechim

2006

Inaugurada a Praça do Imigrante
Polo de Cultura

2008

Realizada a XII FRINAPE
Entrega dos Pavilhões I e II


PALAVRA DO PRESIDENTE

ACCIE: 100 ANOS

Cumpre a mim, a honra de presidir essa entidade no ano em que se comemora o seu centésimo aniversário. E como é próprio da celebração de um aniversário, estamos todos de parabéns por fazermos parte desta história. E o que é a História, se não a construção ordenada da memória, e a memória é lição, referência, e porto de reflexão!

Nestes tempos ditos modernos, escasseiam os momentos de reflexão, não se dando o devido espaço à memória, tornando-nos escravos da rotina. É por isso, que hoje, não festejamos apenas o aniversário da ASSOCIAÇÃO COMERCIAL, CULTURAL E  INDUSTRIA DE ERECHIM, festejamos o aniversário das suas histórias, das nossas feiras, das assembleias gerais, dos nossos encontros, das batalhas ganhas… e das batalhas  perdidas.

As vozes que nos chegam hoje do passado, arregimentam como outrora os valores do seu tempo, proclamam aos contemporâneos e seus sucessores, a certeza da permanência do que foi plantado com raízes fortes, bem adubado e floresceu forte e belo. Avançando pelas frestas dos anos, elas instalam-se entre nós  como se legitimassem, outra vez mais, o sonho daqueles precursores que naquela oportunidade, em 1919, criaram a então Associação Comercial de Erechim, e deram início a uma fascinante jornada do espírito empreendedor, e de responsabilidade social daqueles empresários.  A intervenção dos anos, contudo, não nos isolam daqueles precursores, homens de visão. O Brasil é um país recente. Nossa cidade é jovem. Nossa Entidade, embora centenária, é igualmente jovem. As nações jovens queixam-se da escassez de sua história.

Nós aqui, nos alimentamos dos bons exemplos, da força, do idealismo, da abnegação, da dedicação e compromisso daqueles homens e mulheres que nos conduziram até aqui. Não tememos retroceder nos anos. Cientes de que a história dessa gloriosa entidade, é resultado de uma construção permanente e ininterrupta de todos aqueles que acreditam, que a força do conjunto é mais do que soma de interesses individuais, os parabéns mais eloquentes vão para a todos os associados, aqueles de outrora, e estes de agora, que mantém vivo os sonhos e os ideais que embalaram nossos fundadores.

Creiam-me, a responsabilidade de aqui estar a frente desta Centenária Entidade, é muito maior do que eu pude imaginar. Por isso, a divisão de tarefas com os parceiros dedicados a manter viva, e com saúde esta jovem de 100 anos, foi imperativa e necessária, e por isto desde já os reverencio e agradeço. O grupo corajoso que semeou a ideia da fundação desta Associação, enfrentou as naturais e inevitáveis dificuldades dos primeiros anos, jamais poderia sonhar com este esplendor deslumbrante e vitorioso que contou com a colaboração espontânea, e desinteressada de tantos. Talvez jamais tenha sonhado com a presença de tantas lideranças nos seus quadros, e hoje aqui tantas outras lhes prestigiando nesta data. Talvez nunca tenham sonhado com este nosso Polo, que irradia cultura e diversão, mas na mesma intensidade reflete responsabilidade social, e comprometimento com os destinos de nossa região e, especialmente, da nossa Erechim. Penso que seria injusto, pelas possíveis omissões, destacar uns poucos dentre muitos companheiros e de bravos homens dedicados à causa dos nossos empresários. Alguns nomes estão gravados em ruas da nossa cidade, outros em documentos, atas, condecorações, mas todos têm nosso respeito e nosso dever de deixar registrados seu comprometimento com as novas gerações.

Cem anos se passaram

O panorama político, social e econômico muito se modificou, mas os problemas humanos continuam. Não há como desconhecer e deixar de citar a desorganização do estado brasileiro, com tantas deformidades e vícios como fruto da omissão da sociedade produtiva. Estamos novamente recomeçando um ciclo, o que somente a liberdade política, e a democracia nos proporcionam, e sonhamos, novamente, com um Pais e um Estado mais justo e equânime, mais integrador e mais acolhedor, menos punitivo e mais próximo de quem deseja empreender. Tenho a certeza de que estas mesmas frases poderiam ser ditas também pelos nossos fundadores, pois 100 anos se passaram e muitos problemas persistem. E esta é a nota triste. Passados cem anos, novas tecnologias, novo mundo e, infelizmente, muitas mazelas sociais e políticas, ainda estão vivas e muito vivas!

Porém, ao longo da sua história, a nossa Associação ajudou a construir diferentes pontes, especialmente aquelas que significam a união de todos. Qualquer projeto que permita o desenvolvimento sustentável da nossa região, sempre terá o apoio desta entidade. O papel das associações como a ACCIE, de forma premente, se faz necessário, para instruir, fomentar e intervir na política em todos os níveis, garantindo o direito de termos um país amigo da livre iniciativa, com liberdade para prosperar, crédito justo e abundante para financiar, e regras claras para se empreender. Só assim teremos paz, justiça social e garantia de mudanças reais para as próximas gerações. 

Atravessamos a pior e mais duradoura crise dos últimos 100 anos e, mesmo assim, seguimos em frente. Construir uma história dá de fato muito trabalho! É necessário dedicação, empenho e total entrega à causa em que se acredita e se defende diariamente.  Ao longo dos anos aprendemos o ritmo da caminhada, com passos cada vez mais largos, mas nunca maiores do que os que sabíamos estar preparados. Mesmo aos cem anos, não temos muitas certezas, temos sim várias interrogações.

E o que é que aprendemos em 100 anos?

Talvez, todos que por aqui passaram neste longa jornada diriam, como eu digo, que o mais relevante, é que as pessoas são o ativo mais importante! Mais importante que as marcas, que os produtos, que as instalações, que nossos próprios negócios. São as relações com as pessoas que marcam a diferença e que nos fazem crescer. A confiança, o compromisso, a segurança, a lealdade permeou sempre nossa Entidade. Consideramos uma feliz coincidência e uma honra que este centenário esteja sendo comemorado durante a vigência de nosso mandato. Nós, os membros da atual diretoria temos consciência de que passamos a compor o seleto grupo de pessoas que, há 100 anos, vêm sendo democraticamente eleitas para dirigir uma entidade representativa do empresariado de Erechim e Região.

E esta jovem de 100 anos, se dá o direito de olhar para frente, pensando numa nova geração de líderes empresariais, bem formados e bem preparados, mas acima de tudo, bons cidadãos. Não se prepara o futuro com a sorte  ou o acaso, estamos preparando jovens expoentes da comunidade empresarial para que sejam a garantia e a salvaguarda de um futuro brilhante da nossa Entidade. Por conta disto, criamos e lhes apresentamos nesta oportunidade, as lideranças da ACCIE JOVENS EMPRESÁRIOS capitaneados pelo Diretor desta pasta Gregori Tormen e pelo empresário Vanderlei Carminatti ao qual peço que se levantem os jovens desta equipe para aplausos a esta iniciativa.

E, olhando ainda para o futuro, lançamos hoje, extra oficialmente, a Frinape dos 100 Anos da ACCIE, para a qual já convidamos todos os empresários e expositores para que se prepararem para mais um grande evento. O lançamento oficial desta Feira, que irá marcar o Centenário da ACCIE, será realizado com um ano de antecedência. Estamos contando com todos vocês.  Se hoje aqui estamos, é porque podemos, com orgulho, olhar para trás e visualizar este longo caminho percorrido. Porque temos a fé inabalável de que podemos ajudar no papel de empresários a construir um estado mais justo, mais solidário, menos desigual e mais pujante.

Continuaremos firmes neste rumo

Exaltamos aqui a glória de 100 anos de existência de uma grande senhora.

Almejamos outros 100, outros 200 anos de luzes.

O trabalho de soldados se faz atrás das trincheiras!

Pois bem, estamos preparados, ataquemos o futuro!

Assim fomos. Assim somos. Assim seremos.

 

Fábio Vendruscolo,

Presidente.

 

EX PRESIDENTES

Alberto Roeche – 1919 e 1928

Eurides Castro – 1920

Cesar Sciulo – 1922 e 1929

Dr. Amintas Maciel – 1925 e 1927

Aquiles Caleffi – 1921 e 1930 à 1931

Nelsinho de Andrade Hoffman – 1924, 1932, 1935, 1939

Otto Eduardo Müller – 1923 e 1934

Aldo Arioli – 1933 e 1946

Victorio Fasolo – 1940 à 1945

Germano Hoffman – 1947

Mario Corradi – 1952 à 1960

Eolo Antonio Arioli – 1961 à 1962

Romeu Madalozzo – 1963 À 1967

Hermínio Mascherin – 1968 à 1969

Narciso Passuelo – 1969 à 1971

Renato Caron – 1971 à 1975

Menno Reuwsaat – 1975 à 1979

Alderico Flávio Massignan – 1979 à 1983

Jandir Antonio Cantele – 1983 à 1987

Flavio Claudio Zanardo – 1987 à 1989

Maximino Jaunto Tormen – 1989 à 1991

Nilton Miguel Groch – 1991 à 1993

Mauro Gotler – 1993  à 1997

Jaci Delazeri – 1997 à 2008

Deoclécio Corradi – 2008 à 2010

Mário Luiz Cavaletti – 2010 à 2012

Claudionor José Mores – 2012 à 2017